Quem é Mehdi Hasan, o repórter que irritou Dilma Rousseff

Quem é Mehdi Hasan, o repórter que irritou Dilma Rousseff

Em seu perfil no Twitter, Mehdi Hasan diz ser “um britânico perdido em Washington”. Muçulmano de origem indiana, o jornalista da emissora Al Jazeera, conhecida como ‘a CNN do mundo árabe’, virou manchete nos últimos dias ao subir o tom durante entrevista com Dilma Rousseff e despertar a irritação da ex-presidente.

O trecho no qual o repórter questiona se a petista foi “conivente” em relação aos desvios na Petrobras ou “incompetente” em não percebê-los viralizou nas redes sociais. O próprio Hasan postou o vídeo em seus perfis no Facebook e no Twitter, para divulgar o material exibido na íntegra na noite de sexta-feira (16).

Antes de estrear na TV, ele era editor de política no site Huffington Post. Foi incluído na lista dos 100 britânicos mais influentes no Twitter e no ranking de muçulmanos mais poderosos do planeta. Trocou Londres pela capital americana, onde circula pelos bastidores do poder.

O estilo incisivo visto na entrevista com Dilma é a principal característica de Hasan, 37 anos. Ele torpedeia os interlocutores com perguntas, réplicas e tréplicas. Isso fez seu programa ‘UpFront’ ganhar destaque na programação da Al Jazeera e certa repercussão internacional – e o tornou bem visto pela esquerda britânica.

Nas redes sociais, muitos classificaram como ‘desrespeitosa’ a performance de Mehdi Hasan com a ex-presidente brasileira. Questões como misoginia e sexismo foram lançadas nas críticas ao repórter.

Mehdi Hasan parece pretender ser no canal árabe o que Anderson Cooper e Christiane Amanpour se tornaram na CNN: um âncora pop star, admirado e temido, cuja fama é ampliada a cada entrevista ‘bombástica’ com as personalidades mais importantes da política mundial.

Esse perfil de jornalista tem pouco espaço na televisão brasileira. Aqui, por questões ideológicas, políticas ou comerciais, a maioria dos apresentadores faz confrontos calculados, sem suscitar maior atrito com o entrevistado.

terra

18/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *