Pesquisa revela aumento nos preços de produtos juninos

Manter a tradição das festividades juninas com as comidas típicas, roupas especiais e o colorido das ruas e casas enfeitadas para homeagear Santo Antônio, São João e São Pedro está mais difícil neste ano. Uma pesquisa de preços dos produtos típicos revelou que os aumentos estão praticados em todos os itens.

Segundo informações da assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), a pesquisa efetuada por meio do Índice de Pesquisa ao Consumidor (IPC), analisou o comportamento inflacionário de acessórios, roupas características do período, comidas típicas, fogos de artifício e o milho, o consumidor deverá pesquisar bastante caso queira evitar prejuízos na hora da compra.

No grupo dos acessórios, por exemplo, a pesquisa revelou que o produto com a maior variação foi a bandeirola, com aumento de 37,50%. Em seguida, percebe-se que a tiara e balão aumentaram em 19,67% e 17,98%, respectivamente. De acordo com Gilvan Sinésio, supervisor de Estudos e Análises da Seplag, quando comparados com o ano passado, todos os produtos do grupo tiveram um aumento significativo em seus preços.

“É certo afirmar que, na capital alagoana, os produtos estão com o preço crescendo acima da inflação acumulada nos últimos doze meses (8,84%). Porém, como a demanda por esses produtos é relativamente baixa durante os outros meses do ano, é normal que os seus preços apresentem maior variação com a proximidade das festas juninas”, avalia Sinésio.

A pesquisa também apontou as variações nos itens mais comuns de vestuário, como blusas e afins. Verificou-se que a blusa xadrez masculina adulta foi o produto que teve maior aumento, algo em torno de 21,10%, seguido pela blusa xadrez feminina adulta, com 7,42%.

“Esses aumentos mostram que, no quesito de roupas, as compras estão ficando mais caras. No entanto, notou-se que os itens saia, blusa adulta e vestido infantil apresentaram as menores variações, com um aumento de 3%”, explica o supervisor.

Alimentos

Em função de suas características culturais, as festas juninas também são muito famosas por outro grande fator: as comidas típicas. Dentre os produtos mais demandados nesse período, ressalta-se que a maior alta ficou por conta do cravo (35,50%), cujo preço médio atingiu a quantia de R$ 4,42. Itens como leite, manteiga e milho para Mungunzá/Canjica também apresentaram grandes variações, alcançando aumentos de 31,33%, 26,69%, e 23,15%, respectivamente.

“No caso do milho, quando comprado à meia mão, a pesquisa apontou que o produto apresentou um aumento de 20% e 16,67% quando comprado a uma mão, passando a valer R$ 18,00 e R$ 35,00, respectivamente. Observamos aqui que o consumidor maceioense terá que, de fato, abrir o bolso na hora da compra do milho. A orientação, portanto, é que o cidadão faça pesquisas”, salienta Sinésio.

*Com Agência Alagoas