Estabelecimentos são lacrados pela Operação Sossego em Maceió

Falta de licença, higiene e larvas de Aedes aegypti foram encontrados

f8c966a1ee564673d1a5c77640d47c8b_L
Operação Sossego detectou irregularidades nas condições de higiene e acondicionamento de alimentos, e até larvas de Aedes aegypti, em alguns estabelecimentos comerciais em Maceió nesta madrugada de domingo. Ascom
Mais uma noite de ronda conjunta com agentes da Segurança Pública e órgãos agregados a Operação Sossego resultou em três estabelecimentos lacrados em Maceió. dois deles na parte alta e outro na Praia do Sobral.
A fiscalização rígida pelas ruas da capital é a forma de cumprir a lei, garantir direitos e também a saúde da população, razão pela qual bares, boates,  restaurantes são visitados para detectar irregularidades que vão desde licença para funcionamento, presença de menores de idade, condições de higiene e acondicionamento de alimentos.
SOSSEGO_01
Na Boate Reggae,  na Praia do Sobral, as equipes se depararam com muitos menores no ambiente,  consumo de “loló” e falta de licença para funcionamento. Alimentos e frascos de adoçantes utilizados para disfarçar o entorpecente foram recolhidos.  Por conta da greve da Policia Civil tornou-se impossível a lavração do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) em desfavor dos menores que estavam com o produto.
No bairro Chã da Jaqueira quem foi surpreendido pela Sossego foi o público da boate Freeddon, antiga Scorpions. No local, segundo os técnicos,  havia muitas baratas, som abusivo, comida sem higienização. Também foi verificada irregularidade estrutural e falta de equipamentos pelo Corpo de Bombeiros, que interditou o espaço com a Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (Sempma) e a Vigilância Sanitária (Visa).
Em continuidade, a operação se destinou ao bairro Santa Lúcia, onde os integrantes se deparam no barzinho Rainha do Caldinho em que a situação foi mais complicada. Além da cozinha totalmente irregular,  sem higiene, fogão sujo e animal no chão,  também foi encontrado um balde com muitas larvas do mosquito Aedes aegypti colocando em risco a saúde de proprietários e clientes. Todas as comidas foram jogadas no lixo e o estabelecimento também lacrado. Todos os responsáveis serão autuados e precisarão se moldar às exigências para garantir o funcionamento.
SOSEGO_03
“Ficamos perplexos com a falta de responsabilidade nos locais que fiscalizamos. Essa operação com a participação dos demais órgãos também é importante para a população. De ontem para a madrugada deste domingo foram muitas irregularidades encontradas e temos de combater tudo que de certa forma agrida as pessoas. Encontramos, inclusive, larvas de mosquito e nossa ação que evitou um mal maior”, afirmou o major João Gaia Duarte, que coordenou a Operação Sossego.
Essa operação integrada é uma contribuição da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) para garantir a preservação dos direitos da sociedade alagoana. A parceria com outros órgãos estaduais, municipais e da Justiça tem surtido efeitos satisfatórios desde o início.
SOOSEGO_04
Dulce Melo – Agência Alagoas