Esgoto sem tratamento acumula em área residencial de Jacarecica

Moradores de conjunto às margens da AL-110 reclamam da situação. Eles dizem que no local há muitos insetos e focos de mosquito.

Moradores do bairro de Jacarecica, em Maceió, reclamam que há muitos anos convivem com esgoto que corre a céu aberto. Além do mau cheiro e sujeira, eles se preocupam com o surgimento de doenças provocadas pelo acúmulo de lixo e a água parada.

O esgoto fica acumulado em um córrego de cerca de 800 metros em frente ao Residencial Jacarecica, às margens da AL-101. Moradores falam que no local há muitos focos do mosquito Aedes Egypti.

Com as chuvas que caíram nos últimos dias, a situação piorou. O morador Waldemar Rogério de Araújo disse que convive com a situação há seis anos, desde que foi morar no condomínio.

“Não sabemos mais o que fazer com essa situação. À noite tem muito mosquito e nem as telas conseguem impedir que entre entrem nas casas. Pior são os casos de doenças como a dengue, zica e chicungunha que afetam moradores daqui”, falou.

Araújo disse que a expectativa é que com a obra de duplicação da rodovia a situação melhore.

“Não tem como fazer uma obra desse porte e deixar que o esgoto continue às margens da rodovia. Espero que isso seja resolvido porque do jeito que está ninguém aguenta”, reclamou.

Outra moradora, Erika Leão reclama da proliferação de ratos e também da quantidade de mosquitos.

“Ninguém toma uma providência e depois do início da obra acabaram fechando alguns acessos e todo o esgoto que desce da Vila Emater fica acumulado”, diz.

Obras
A Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra) informou que redes de esgotamento estão sendo construídas, porém elas fazem parte das obras da bacia da Pajuçara. Segundo a secretaria, a área de Jacarecica depende da conclusão da obra da linha expressa, que está com 95% dos serviços concluídos.

Após a entrega da obra, prevista para acontecer no próximo semestre deste ano, a rede de esgotamento sanitário passará a ser operadas pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

g1

21/12/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *