Depilar as costas e levar avó ao médico; veja pedidos inusitados de chefes

Raspar os pelos as costas do chefe.
Raspar os pelos as costas do chefe.

Quem nunca reclamou do chefe? Alguns profissionais, porém, têm mais motivos para isso do que outros. Já imaginou se o seu chefe pede para levar a avó dele ao médico? Ou pior, para raspar os pelos de suas costas?

O site americano especializado em carreiras Careerbuilder fez um levantamento para analisar a avaliação que trabalhadores dos EUA fazem de seus chefes.

Segundo a pesquisa, mais de um em cada cinco entrevistados disse que já tinha recebido um pedido do chefe que não era relacionado ao seu trabalho.

Eles também apontaram algumas dessas tarefas. O Careerbuilder divulgou as mais incomuns, entre elas:

Tirar um guaxinim morto da sua caminhonete

5nov2013---guaxinim-come-tangerina-no-zoologico-em-hof-alemanha-1383686369475_615x300

Terminar com a namorada (do chefe) por ele

pedro-tenta-terminar-seu-namoro-com-raquel-em-cena-que-vai-ao-ar-em-malhacao-em-84-1302290746044_615x300

Experimentar um biscoito de cachorro

cachorro

Levar o celular do chefe ao conserto depois que tinha caído no vaso sanitário

lancado-no-japao-primeiro-celular-que-pode-ser-lavado-com-agua-e-sabao-1449168051169_615x300

Levar a avó do chefe ao médico

idosa-idosos-velhice-maturidade-1356701322310_615x300

Alimentar os pássaros do jardim da casa do chefe

31mar2015---entre-as-aves-apreendidas-pelo-ibram-instituto-brasilia-ambiental-esta-o-passaro-bicudo-verdadeiro-1427836447467_615x300

Ainda bem que, de acordo com essa pesquisa, chefes “sem noção” são minoria, pelo menos nos EUA.

Ela apontou um grau considerável de satisfação dos funcionários, já que 62% classificaram o desempenho de seus superiores como “A” ou “B”. Outros 22% deram uma nota “C”, 10% classificaram como “D” e 6% “reprovaram” os chefes com a pior nota, um “F”.

O levantamento também indicou que um chefe ruim pode levar, de fato, o funcionário a pedir demissão. Quase 2 em cada cinco entrevistados, ou 38%, disseram que já largaram um emprego por causa do superior.

A pesquisa foi realizada entre fevereiro e março deste ano, com 3.031 entrevistados que trabalham em empresas de diversos tamanhos e setores dos EUA.

Site Uol.