Registros de atiradores e colecionadores de armas de fogo cresce 879% em 5 anos

O registro de adeptos à prática de tiro cresceu 879% em 5 anos. O número de documentos expedidos a caçadores, atiradores e colecionadores de armas de foco, designados como CAC, passou de 8.988, em 2014, para 87.989, em 2018. Atualmente, são 255.402 licenças ativas para esse grupo no país. As informações são do jornal O Globo desta 2ª feira (22.abr.2019).

O total de armas em posse desse grupo também aumentou. Elas passaram de 227.242, em 2014, para 350.683, em 2018 –crescimento de 54% em 5 anos.  O levantamento foi feito pelo Instituto Sou da Paz, por meio de informações solicitados do Exército por meio de  LAI (Lei de Acesso à Informação).

O grupo deve ser beneficiado por 1 decreto presidencial nos próximos dias. Jair Bolsonaro prometeu a medida para “facilitar a vida”. A expectativa deles é que as novas medidas simplifiquem o processo de registro e que  o prazo de validade do registro, hoje de 3 anos, seja aumentado. Também esperam que o transporte da arma seja liberado para todas as categorias do CAC. Atualmente, só atiradores podem andar com a arma carregada. A Casa Civil ainda não divulgou detalhes do decreto.

O crescimento expressivo do número de registros é atribuído à popularização do tiro esportivo e ao aumento do número de civis que querem adquirir armas para defesa pessoal. Antes do decreto que facilitou a aquisição de armas de fogo, era necessário que civis apresentassem justificativa para posse de arma. Necessidade não exigida como CAC.

Ao jornal, o gerente do Instituto Sou da Paz, Bruno Langeani, informou que o volume de armas é “assustador”. “É superior ao número de armas de todas as empresas de segurança privada no país, que soma 244 mil unidades. Se considerarmos que em São Paulo há 120 mil policiais, entre militares e civis, essa categoria de caçadores, atiradores e colecionadores tem mais armas que a polícia do estado”, disse.

Um outro ponto de preocupação apresentado pelo gerente são os números de roubos, furtos e extravios das armas dos CAC. Entre 2010 e 2016 foram 5.808.

Para solicitar a posse de arma como CAC é necessário não ter antecedentes criminais, comprovar aptidão técnica e psicológica, ser filiado a 1 clube de tiro e frequentar o lugar para treinos.

22/04/2019